Meninas debatem equidade de gênero em fórum regional

Rio de janeiro, 08 de abril de 2013 - Durante os dias 1 e 4 de abril, o Rio de Janeiro (RJ) sediou o Seminário Internacional Brasil-EUA sobre o Empoderamento de Meninas. O encontro, promovido pela Secretaria de Direitos Humanos, a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, contou com o apoio do Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Partners of the Americas, Plan International e Ashoka, e teve ainda patrocínio da Mary Kay Inc. e da Caixa Económica Federal. O seminário que se consolidou como um dos principais assuntos firmados na cooperação entre os dois países no campo dos direitos humanos, teve também representação do Chile, México e Uruguai, reunindo cerca 80 adolescentes de 13 a 17 anos para discutir algumas das principais problemáticas relacionadas com a discriminação e violação dos direitos das mulheres e consolidar uma agenda com estratégias voltadas para o empoderamento social, político e econômico das meninas.

No dia 1º de abril, foi realizada uma breve acolhida com a apresentação da equipe organizadora e também das participantes, que compartilharam as ações desenvolvidas em suas comunidades, visto que, a maioria das adolescentes convidadas desempenham papéis de protagonismo em causas voltadas aos direitos humanos, educação e gênero. Foram estabelecidos também os acordos de convivência e o cronograma de atividades.

O segundo dia de evento começou com as dinâmicas “Podemos mudar o mundo brincando” e “A Teia”. Destinadas a todas as participantes, as dinâmicas auxiliaram nas saudações, por meio da dança e da música, um momento para mostrar um pouco da cultura de cada país promovendo a interação entre as meninas de distintas localidades. Ainda no dia 2, as participantes foram convidadas pela equipe pedagógica, coordenada pela ASHOKA, a produzirem cartas na atividade “Histórias que mudam histórias”, onde as meninas narraram suas colaborações sociais.

O dia 3 de abril esteve marcado pela presença de representantes do governo brasileiro e de agências internacionais, como a diretora da Campanha do Milênio da ONU, Corinne Woods, que coletou algumas propostas elaboradas pelas participantes para compor o plano de ação dos Objetivos do Milênio Pós-2015. Ainda nesta jornada, a professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Silvana Goellner, e as jogadoras profissionais de futebol feminino, Aline Pellegrino e Caitlin Fisher, participaram de um bate-papo com as jovens participantes  no qual abordaram a questão da equidade de gênero no mundo do esporte. As atletas enfatizaram algumas das discriminações que elas enfrentaram e ainda persistem no âmbito esportivo em relação a inclusão das mulheres nas categorias profissionais e semi profissionais de várias modalidades esportivas, bem como a escassez de incentivos públicos e privados para fortalecer a participação das mulheres no esporte.

A abertura oficial do evento contou com a presença da Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, a Secretária-Executiva da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Lourdes Bandeira, o Embaixador dos Estados Unidos, Thomas Shannon, o representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no Brasil, Gary Stahl, e o presidente Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC), Gilson Scharnik.

Na cerimônia de abertura a Ministra Maria do Rosário, lembrou que o Brasil tem avançado na questão da igualdade de gênero, com as mulheres alcançando maior participação no âmbito social e político. “As mulheres já são maioria em todos os níveis de ensino, têm conquistado importantes espaços em concursos públicos e ocupam cada vez mais profissões mais renovadas em possibilidades, que antes eram ocupadas apenas por homens”, disse.

De acordo com a Ministra Maria do Rosário, este Seminário é o princípio de uma mudança no paradigma da igualdade entre gêneros. “Nós avaliamos aqui a conjunção de ser jovem, ser adolescente e ser mulher. E o que nós almejamos com a participação das adolescentes é o protagonismo delas na superação dessa violência, para que essa geração possa ser uma geração em que não se naturalize mais a violência de nenhuma forma”, afirmou a Ministra.

O último dia de Seminário contou com a participação de convidadas especiais do segmento governamental e da iniciativa privada. A Presidenta do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA), Maria Izabel da Silva; a representante da Secretaria Nacional de Juventude, Ana Carla Bezerra e a empreendedora brasiliense Tatiana Moura, participaram de painel sobre o mundo de trabalho e a realização profissional, destacando cada uma delas sua experiência pessoal e profissional nos movimentos sindicais e de mulheres e respondendo de forma dinâmica às perguntas formuladas pelas participantes. A tarde do dia 4 culminou com um diálogo entre as adolescentes e a coordenadora do Centro Integrado de Atendimento à Mulher “Márcia Lira” do Rio de Janeiro, Cristina Fernandes, que aprofundou nas questões de enfrentamento à violência contra a mulher, tratando com especial sensibilidade algumas situações e casos de extrema gravidade, e apresentando as principais ações que são realizadas atualmente desde os centros de atendimento especializado para proteger as mulheres vítimas de violência.

Com o objetivo de consolidar uma agenda nacional e regional pelos direitos das meninas que assegure a continuidade das ações iniciadas com este Seminário, as participantes elaboraram uma Carta-Manifesto que recolhe seus anseios de transformação e as principais propostas para garantir o pleno desenvolvimento das meninas e das mulheres em diversas áreas da sociedade. Faça aqui o download da Carta-Manifesto "Meninas de hoje, líderes do amanhã"




Instituto Internacional para o
Desenvolvimento da Cidadania

  • Brazil
  • USA
Copyright © 1998 - 2017 IIDAC. All rights reserved